Difusão dos estudos de Arno Stern no Brasil

Um novo olhar sobre o gesto, o traço e o jogo

images.jpg

FORMULAÇão

O DESENVOLVIMENTO DO TRAÇO NO DESENHO INFANTIL, CONHECIDO COMO FORMULAÇÃO É O PONTO CENTRAL DO TRABALHO NA EDUCAÇÃO CRIADORA

 

A Formulação, estudada pela Semiologia da Expressão, é um código universal do desenho

“espontâneo”. Arno Stern há 70 anos, observou, em suas viagens pelo mundo, e em seu ateliê denominado de Closlieu, que pessoas de civilizações distintas, idades variadas e condições sociais diversas, faziam traços e formas similares, esse conhecimento é a Formulação.

C

Stern, então, organizou a Formulação e criou a Semiologia da Expressão, uma ciência que estuda a Formulação e seus fenômenos.

 

 

Conceito Teórico

A Formulação é um conjunto sistemático, orgânico e complexo.

Um sistema autônomo e universal que opera de acordo com leis próprias e com componentes que pertencem somente a ela. 

 

A Formulação tem seu alimento na Memória Orgânica, local onde são armazenados acontecimentos da vida pré-natal, nascimento e primeiros anos de vida. Fatos que não se perderam, mas foram registrados com as lembranças, mas em um depósito à parte. Essas lembranças que cada feto vive à sua maneira, estão programadas segundo uma fórmula pré estabelecida da espécie humana.

A evolução que é determinada na Formulação não se limita ao tempo da formação primária do organismo, mas que inclui também etapas posteriores do desenvolvimento da pessoa. As fórmulas do programa genético estão transcritos nas figuras da Formulação, ou por dizer de outra maneira, essas figuras são como que um eco dos feitos suscitados pelo programa genético. Um eco tardio, mas fiel.

 

A Formulação é a única revelação dessa memória.

 

A evolução da Formulação conta com 3 etapas consecutivas:

 

 

A Formulação tem 3 fases, que não estão relacionadas com idade, nem gênero, nem cultura, e sim com a necessidade e a maturidade do indivíduo.

Fase

Fases da FORMULAÇÃO

 

Figuras primárias - onde não há intenção de representação.

Objetos-imagem - reconhecimento do que se consegue fazer com o que se vê no mundo.

Figuras Essenciais - movimento e traçado sem representação, e sim a necessidade de fazer o traço de acordo com o movimento. 

 

COMO SURGIU A PESQUISA SOBRE A FORMULAÇÃO

 

Arno iniciou sua carreira aos 22 anos quando foi convidado a trabalhar numa Instituição para órfãos da segunda grande guerra. Ao longo do tempo, ele percebeu o papel primordial que o jogo provocava no ser humano e as valiosas mudanças que sua prática causou naquelas crianças, então iniciou sua pesquisa, que hoje tem mais de 70 anos, a Semiologia da Expressão, ciência que estuda a FORMULAÇÃO.

4355808771_73a7d894d9_z.jpg

A mídia em geral repercutiu muito as realizações espetaculares de Arno e imediatamente ele foi convidado a participar de vários congressos como técnico especial da UNESCO onde fez memoráveis conferências, pesquisas e cursos pelo mundo.

9486_mail.google.com.jpg_190x150.jpg

Com sua pesquisa, Arno provou que o traçado é inerente ao ser humano, está em seu DNA, porém é necessário que o indivíduo esteja livre, sem interferência, sem julgamentos nem comparações para que possa resolver essas questões primordiais.

anomade3.jpg

Entre os anos 60 e 70, Arno percorreu vários locais onde haviam civilizações não escolarizadas e sem contato com o mundo consumista. Essa "pureza" fez com que Arno percebesse que o ser humano tem em sua essência o conhecimento necessário para entender-se como espécie. E que o traçar é necessário para que o ser sinta-se criador no sentido amplo da palavra.

afghanistan.jpg

Ao retornar a seu ateliê, Arno constata que quando há condições apropriadas para o desenvolvimento do traço, ou seja, um local sem interferências externas, nem expectativas, nem julgamentos, o ser humano ee capaz de recuperar essa "pureza" primordial, que o faz sentir-se livre dos moldes impostos pela sociedade e com isso reconhecer-se como único e criador.

anomade 2.jpg

Essa é a base do estudo de Stern. E é a essência de suas pesquisas. Há mais de 70 anos, ele observa o traçado de crianças e adultos em seu ateliê e comprova que quando a pessoa entra em contato com seu traço pessoal, sente-se capaz de criar e essa situação o faz ser livre e autônomo.